terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Paris em 2017 Rive Gauche e rio Sena de noite

Conhecer Paris é o sonho de muitos viajantes!

A“Cidade Luz”, como é chamada,  rica em monumentos e cheia de museus, é uma referência também na gastronomia mundial.

Esta bela cidade é dividida pelo rio Sena e suas áreas são referenciadas pelo lado do rio em que se situam: rive droite (direita) e gauche (esquerda).

Já estive algumas vezes em Paris e geralmente fujo dos programas tradicionais, procurando novidades ou lugares charmosos para passear, como a região da Rive Gauche. Existe também em Paris, uma divisão feita na cidade, por blocos, ou seja, por “arrondissemant”, que a meu ver é um pouco complicada.

Na Rive droite ficam os principais monumentos. A Rive Gauche, por sua vez, é a região boêmia da cidade, onde transitam músicos, artistas e intelectuais e onde existem muitos bistrôs e muita alegria!

Desta vez, ficamos no hotel Hotel Deux Continents, na Rive Gauche e pagamos 104 euros por dia, uma pechincha, por sua localização e acomodação. Hoje em dia, os hotéis cobram o café da manhã à parte, para sugerir uma diária mais em conta. No caso deste hotel, no entanto, valeu a pena tomar o café ali, pois se trata de um bom “petit dejeneur”.

Assim que nos alojamos, deixamos as malas no hotel e aproveitamos para passear pelas redondezas. Fomos ao Marche Saint-Germain, com suas diversas lojas e onde acabei achando, na loja da Apple, um acessório do qual precisava.

Mais tarde, fomo jantar no restaurante Le Procope, que fica numa ruela da rive Gauche, em Saint-Germain des Prés. Ele é o mais antigo restaurante do mundo, fundado em 1686. Era neste local que os maiores escritores e intelectuais se reuniam (Rousseau, Diderot, Verlaine, La Fontaine, Napoleão Bonaparte e outros). Paris respira história e além disso, o Procope oferece uma cozinha tradicional, com diferentes especialidades, tais quais: Coq au vin, Tête de vitela - bochecha de bovino assada, mille-feuille outros.

O lugar é requintado, com uma decoração sóbria, onde são expostos vários quadros da aristocracia francesa.

Pedimos nesta noite dois “menus Philosophes” que ofereciam:

Uma deliciosa soup de l' oignon (sopa de cebola).

Ovo Mollet (ovo mole) et asperges (aspargos frescos), com molho de Morriles (cogumelo).

Entrecot com batatinhas e molho roti.

Frango com legumes e molho com champignon.

Para acompanhar os pratos, pedi o vinho Crozes-Hermitage de Paul Jaboulet 2015, ( vinícola que eu já visitei no Rhône). Este vinho harmonizou bem com os pratos.

A conta ficou em 88,50 euros para duas pessoas . Valeu a pena conviver desta forma com um pouco da tradição da culinária francesa.

Aproveitamos o fim da noite fresca para passear pelo Sena e tirar uma fotos do rio e dos prédios famosos às suas margens.

Este foi um começo perfeito para uma temporada em Paris!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os vinhos deliciosos da Península de Setúbal, Portugal

A comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRSP) promoveu um encontro em São Paulo, em junho de 2019, para apresentar os vin...