segunda-feira, 11 de junho de 2018

Porto e Douro 2018 em São Paulo

A Essência do Vinho promoveu em 12/ 03/18, um evento chamado "Porto & Douro Wine Tasting”. Para este evento, ela trouxe a representação de algumas das mais importantes vinícolas da região demarcada do Douro e apresentou rótulos raros e icônicos, além de novos lançamentos.

Os produtores presentes no evento foram: Casa Álvares, Alves de Souza, Casa Ferrerinha & Sandeman, Churchill’S, Jorge Nobre Moreira (Poeira), Lavrador de Feitosa, Lusovino / Pedra da Cancela, Messias, Porto Ceremony, Porto Ferreira, Quinta da Romaneira, Quinta da Touriga Chã, Quinta da Veiga, Quinta de la Rosa, Quinta do Castro, Quinta do Noval, Quinta do Vallado, Quinta Dona Leonor, Quinta das Murças, Quinta Nova Sra do Carmo, Quinta Santa Eufémia, Quinta Vale D. Maria, Ramos Pinto Vinhos, Real Cia Velha, Viasta Alegre &Vallegre e Wine & Soul.

A mais antiga região demarcada e regulamentada do Douro foi criada em 10/9/1756.

O perfil dos vinhos deste evento é a expressão dos distintos terroirs. O terroir é fruto da relação entre natureza, trabalho do homem e cultura.

A qualidade destes vinhos é conferida pelo Instituto dos  Vinhos Douro e Porto, que é o organismo responsável pela fiscalização, controle, certificação, promoção e proteção das duas denominações de origem.

A região do Douro é divida em 3 áreas: Baixo Corgo, Cima corgo e Douro Superior. Corgo é um dos afluentes do rio Douro.

O vinho do Porto é um vinho fortificado, isto é, adiciona-se álcool vínico ao vinho, o que lhe confere uma graduação alcoólica entre 19 e 22% de volume. Ele se divide em quatro estilos: Ruby, Tawny, Branco e Rosé.

Além de 2 Masterclasses, o evento contou com uma prova de boa gama dos vinhos da região.

Os vinhos que mais se destacaram foram:

O vinho Abandonado, do produtor Domingos Alves de Souza, utiliza uvas velhas, cujas parreiras estavam abandonadas, por isto tem este nome. Ele é importado pela Decanter.

Poeira 2013, da Lavradores de Feitosa, produzido com uvas de vinhas velhas: Touriga Nacional, Souzão e Tinta Roriz. Na safra 2009 , ganhou 95 pontos RP e é importado pela Mistral.

Quinta das Murças Marcela 2015, das cepas: Touriga Franca e Touriga Nacional. Ele é importado pela Qualimpor.

Quinta da Romaneira Syrah 2013 é importado pela Portus.

Os vinhos brancos, em geral estavam muito bons, como o Poeira, Quinta da Gaivosa e Quinta da Romaneira Verdelho.

Vários portos estiveram presentes, como o Ramos Pinto 10, apresentado por seu simpático importador.

Cada vez mais, Portugal mostra que produz tanto grandes vinhos, como outros mais simples, com custo baixo, sem perder a qualidade.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os vinhos deliciosos da Península de Setúbal, Portugal

A comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRSP) promoveu um encontro em São Paulo, em junho de 2019, para apresentar os vin...