terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Dresdem, pérola da Alemanha

Depois de conhecermos Berlim, partimos para Dresden, uma cidade da Alemanha, capital do estado da Saxônia. Localiza-se nas margens do rio Elba. Dresden tem uma longa história como capital e residência real dos Reis da Saxônia e é possuidora de extraordinária cultura e esplendor artístico.

Ficamos hospedados no bom hotel Hilton Dresden –An der Frauenkirche 5, 01067, Dresden. (http://www3.hilton.com/en/hotels/sachen/hilton-dresden-DRSHITW/index.html) com uma diária de E$ 120,00.

A localização do hotel é perfeita, fica bem no centro da cidade antiga, o que nos permitiu visitar os pontos principais a pé.

Caminhamos por todo o centro, em diversas horas do dia e ficamos deslumbrados com várias visões daquela maravilha em horários diferentes.

O controverso bombardeio que Dresden sofreu na Segunda Guerra Mundial, em 1945, matou cerca de 35 mil pessoas. Quarenta anos de RDA mudaram a face da cidade dramaticamente. Desde a reunificação Alemã, Dresden tem sido um importante centro cultural politico e econômico na parte este da República Federal Alemã.

Os sonhos megalomaníacos do príncipe Augusto, o forte, fizeram de Dresden uma das cidades mais charmosas de toda a Alemanha. Foi ele quem mandou erguer, nos séculos 17 e 18, alguns dos monumentos mais glamourosos da arquitetura germânica, como o Zwinger, o Palácio Residenz e as igrejas de Frauenkirche e Hofkirche. Muito do que Augusto construiu, no entanto, veio abaixo durante a II Guerra. Alguns monumentos foram reerguidos décadas depois, mas vários outros acabaram sepultados para sempre. Ainda assim, Dresden faz jus ao título de Florença do Elba, devido ao farto conjunto de belezas artísticas e naturais que ganham um brilho todo especial no verão.

Dresden tem um centro histórico compacto, repleto de jóias arquitetônicas do barroco e do rococó. Ficamos encantados com a beleza dos prédios que foram reconstruídos dos escombros, depois dos bombardeios da Segunda Guerra:

1. Frauenkirche e Neumarkt Praça. A Frauenkirche, que é uma igreja protestante monumental foi construída entre 1726 e 1743, reduzido a ruínas em fevereiro 1945 e reconstruída a partir da década de 1990. Na praça Neumarkt circundante, as casas triangulares típicas barrocas foram reconstruídas secção por secção. Depois de mais de meio século, o novo centro da cidade velha voltou a existir.

2. Procession of Princes. Atrás do Palácio Real, o Fürstenzug, ou Procession of Princes, liga Neumarkt e Schlossplatz quadrados. O mural de 101 metros revestido com porcelana Meissen descreve os governantes da Casa de Wettin em uma procissão.

3. Palácio Real. Este edifício renascentista foi construído no século 15 como um novo centro de poder para os príncipes e reis saxões. Após a sua destruição na Segunda Guerra Mundial, em 1985, o edifício começou a ser reconstruída como um complexo de museus para Staatliche Kunstsammlungen Dresden. (Foto de Kolossos).

4. Sanctissimae Catedral Trinitatis. Esta catedral, também conhecida como o Tribunal Igreja Católica, é encontrada entre Schlossplatz e Theaterplatz, e é o maior edifício eclesiástico da Saxônia. Foi construída por Chiaveri entre 1738 e 1754, em estilo barroco. Desde 1980, tem sido a catedral da diocese Dresden-Meissen.

6. Zwinger Palace. Este edifício é o mais importante do período barroco tardio, o Zwinger é uma obra composta de arte que combina a arquitetura com escultura e pintura. Desenhado e construído entre 1710 e 1728, hoje o prédio abriga a Pinacoteca dos Mestres Antigos, o Gabinete Real de Matemática e instrumentos físicos e a coleção de porcelana.

Este foi um dos complexos que mais nos impressionou, com seu jardim central e sua grandiosidade.

7. Brühl Terraço, às margens do Elba com seus jardins de recreio. É conhecido como a "Varanda da Europa". A partir do terraço você pode acessar a Academia de Arte, a Fortaleza e o Albertinum.

8. Ouro Horseman. Este monumento foi construído a partir 1732-1734 e mostra eleitor Friedrich I, mais conhecido como Augusto, o Forte, montando em um cavalo, vestido com trajes antigos. Desde então, ele brilhou em glória renovada com cerca de 500 gramas de folha de ouro. Ao pé da ponte Augustusbrücke, o Golden Horseman aponta o caminho para o Inner Neustadt, e simultaneamente a nordeste para o reino da Polónia, cuja coroa Augusto, o Forte ganhou em 1697. (Foto de  Christian Koehn (fragwürdig)).


9. Pfunds Dairy. Fundada em 1880 pelos irmãos Pfund, este laticínios é conhecida como a "mais bela loja de laticínios do mundo". Azulejos pintados à mão decoram as paredes, piso e balcão de vendas com criaturas fabulosas, elementos florais e motivos da indústria de laticínios.


10. Blue Wonder. Esta ponte de aço foi uma das primeiras da Europa. Representou uma conquista tecnológica impressionante na época. Esta é a razão da ponte Loschwitz ganhar o apelido de "Blue Wonder". "Blue" refere-se a sua cor, que, de acordo com uma história, ela assumiu depois de ter sido originalmente pintadas de verde. Desde 1893, a ponte liga áreas residenciais exclusivas de Loschwitz e Blasewitz, atraindo muitas críticas sobre sua aparência. (foto de: By Brücke-Osteuropa).

Dresden é uma cidade arrebatadora, estupenda, pois ela reúne, num pequeno espaço, obras arquitetônicas, esculturas, obras de arte, fontes e catedrais magníficas! Talvez esta cidade tenha sido o ponto alto da nossa visita à Alemanha!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os vinhos deliciosos da Península de Setúbal, Portugal

A comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRSP) promoveu um encontro em São Paulo, em junho de 2019, para apresentar os vin...