segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Ostuni, cidade branca da Puglia

Da cidade de Polignano Al Mare, partimos para Lecce, parando para conhecer, no caminho, a  cidade de Ostuni (https://www.youtube.com/watch?v=iTpNpAdegjU).

Assim como outras cidades muradas, em Ostuni tivemos que deixar o carro num bolsão de estacionamento e subir a pé para o centro antigo.

Fizemos isto e aproveitamos para apreciar as lojinhas de artesanato e alimentos locais pelo caminho.

Visitamos também a igreja de São Francisco e fomos até o Duomo Central, muito bonito.


Ostuni nos lembrou nossa viagem à Grécia, graças à igual brancura dos seus prédios.

As lojas de alimentos eram tentadoras e aproveitamos para provar uma burrata com tomates, azeitonas, tarallis e azeite maravilhoso.


Descansamos das subidas na praça principal e provamos um interessante cocktail de figo da índia. De lá partimos para Lecce, cidade mais ao sul da Puglia.

Ostuni é uma das cidades das mais interessantes ao sul da Itália, famosa pelo efeito de suas casas caiadas de branco, e por sua arquitetura mediterrânea.


Além das ladeiras, a cidade de Ostuni tem vários níveis, escadarias, ruas estreitas, becos e arcos. Há vestígios da Idade Média em todos os seus cantos, em todas as vistas para o mar, no portal de um palácio, nas paredes de um convento ou na frente de uma igreja.

O brilho de suas casas caiadas, em contraste com o marrom rosado de seu monumento principal, faz com que a cidade se destaque no verde da área circundante.


A região em torno Ostuni tem sido habitada desde a Idade da Pedra. A cidade de Ostuni tem a fama de ter sido originalmente estabelecida pelo Messápios, uma tribo do período pré-clássico, e destruída por Hannibal durante as guerras púnicas. Em seguida, ela foi reconstruída pelos gregos. Seu nome “Ostuni” é decorrente da palavra grega Astu que significa "cidade nova”.

Esta cidade foi construída em cima de uma colina e ainda fortificada pelas antigas muralhas. Ostuni é comumente referido como "a Cidade Branca" (La Città Bianca em italiano ).

A Cathedral é o marco mais conhecido de Ostuni. Construída entre 1435 e 1495, no estilo gótico tardio, tem uma fachada tripartida, dividida por duas tiras de pilastra. Acima do portal central há uma magnífica rosácea com 24 costelas finamente esculpidas. O interior da igreja é do século XVIII e tem um teto de nível e capelas laterais barrocas.

No topo do morro, numa praça, em ambos os lados da catedral, pode-se ver o Palazzo Vescovile e Palazzo del Seminario, unidos por um alpendre coberto arqueado elegante (1750), onde há um animal alado.


As muralhas da cidade são outro ponto interessante. Parte dela foi destruída pelo terremoto de 1456.

A Coluna de Sant’Oronzo, que fica no centro da área histórica, foi construída em 1771 com base em uma idéia do maestro local, Giuseppe Greco. Ela tem uma forma piramidal e mais de 20 metros de altura, com a estátua de Santo Oronzo no topo. Expressão perfeita do estilo barroco.

A Igreja de Santo Spirito foi construída em 1637 pelo bispo Melingi. Ela conta com uma nave com uma abóbada de pedra e uma luneta. Sua fachada é plana, com um portal que atinge as suas dimensões e os elementos ornamentais. É a mais antiga igreja (1450) e originalmente situada no frontispício da igreja medieval de Ognissanti, localizada na piazza del Moro.

Ostuni é rodeada de oliveiras e parreiras, onde são produzidos azeites e vinhos de ótima qualidade.

Existem na região, as Masseries construídas no século XVI. Masseries são casas de fazenda fortificadas, construídas para fins de defesa, para repelir os ataques marítimos e terrestres. Elas também se tornaram o centro de uma comunidade social e agrícola. Muitas vezes foram construídas em cima de grutas existentes, onde os moinhos foram criados. Ao redor do prédio principal, também se encontram casas para trabalhadores agrícolas, estábulos e uma igreja.

Depois de um período de negligência, as masseries foram revitalizadas e agora oferecem o tipo de hospitalidade rural que permite aos turistas entrar em contato com os ritmos e as paisagens da região.

O passeio pela cidade de Ostuni foi muito agradável pois é um local que vale a pena ser visitado, apesar de não constar da recomendação dos guias de viagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os vinhos deliciosos da Península de Setúbal, Portugal

A comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRSP) promoveu um encontro em São Paulo, em junho de 2019, para apresentar os vin...