quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Joseph Drohin e seus vinhos excelentes, da Borgonha

Na minha visita à Borgonha em 2017, selecionei a vinícola Maison Joseph Drouhin (cujos vinhos são importados pela Mistral) para visitar.  A ideia era a de conhecer melhor os vinhos da Região, praticamente as principais denominações.

Durante os últimos 130 anos, a Maison Joseph Drouhin estava nas mãos dos Drouhin. Hoje, quem está no comando é a quarta geração dessa família, impulsionada pela mesma paixão que inspirou o fundador da empresa. https://www.youtube.com/watch?v=AkndP6OYlZk.

O estilo de Joseph Drouhin é fazer sempre uma aliança entre o equilíbrio e a harmonia. Adotando uma abordagem biológica e biodinâmica,  ele utiliza apenas os produtos orgânicos em suas vinhas e em todos os procedimentos, mostrando grande respeito pelo solo, pela videira e, de uma maneira global, pelo meio ambiente.

A Casa tem como principal objetivo, a elegância e a perfeição. Com cerca de 90 denominações diferentes, os vinhos "estilo Joseph Drouhin" são reconhecidos pelo equilíbrio, harmonia, elegância e caráter.

Entre os melhores vinhos desse produtor, podemos destacar o Bourgogne Rouge, concentrado, fino e com deliciosas notas de frutas maduras; e o Gevrey-Chambertin, com grande personalidade e, de acordo com o crivo de Stephen Tanzer, um excelente e elegante village, com taninos macios e fruta exuberante. Um dos mais típicos Gevrey Chambertin.

A Maison Drouhin fica dentro da cidade de Beaune, em 2 prédios, com uma passagem entre eles por debaixo da rua, onde fica a adega.

Iniciei esta vista pela adega antiga. O espaço é grande, com inúmeros tonéis de vinhos descansando naquele ambiente escuro e úmido.

Numa das salas escuras, aconteceu a degustação dos vinhos. Iniciamos pelo Chablis Premier Cru Mont Milieu 2014, que é um vinho com boa mineralidade e acidez.

Em seguida vieram: Rully Blanc 2015, com uma cor dourada brilhante, aromas frescos e frutados, com toque cítricos e amêndoa. Um vinho fresco e elegante no palato, com um delicioso retrogosto.

Chassagne Montrachet Les Embazées Premier Cru 2014, em seguida, um vinho branco da região de Cotes de Beaune. É um vinho claro, levemente dourado. Tem aromas de flores brancas, avelãs e pera. É um vinho opulento, de grande persistência.

Fleury Domaine Hospices de Belleville 2014, um vinho da cepa Gamay, com uma cor rubi violácea. Seus aromas são de violetas e de rosas. Seus taninos são delicados com um final longo na boca.

Chambolle-Musigny premier Cru 2013, este é um vinho sedoso e delicioso. Seus aromas são complexos, de violeta e cerejas, com certo sous-bois. Os taninos são finos e delicados, com longa persistência e equilíbrio.

Charmes-Chambertain Gran cru 2012. É um vinho maravilhoso com uma cor intensa, frutado, com notas de cereja, amadeirado e com especiarias. Na boca, ele é rico e equilibrado, com taninos nobres e arredondados e excelente acidez.

Beaune Grèves 2013 Premier cru, um vinho excepcional, com uma cor intensa e brilhante. No nariz tem toque de cassis, especiarias e empireumático, como o defumado e tabaco. Na boca os taninos são finos, sedutores, com notas de creme de cassis e um delicado aroma de madeira no final.

Esta degustação foi uma verdadeira aula sobre a Borgonha! Tal feito um passeio através dos vinhos. Fomos desde o norte, na região de Chablis, com seus deliciosos vinhos brancos, passamos pelo centro com os incomparáveis Pinot Noir e Chardonnay, até o sul, na região Beaujolais, com o vinho Fleury.

Agradeço a Christophe Thomas que me acompanhou divinamente nesta visita e a Mistral que fez com que ela se realizasse.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os vinhos deliciosos da Península de Setúbal, Portugal

A comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRSP) promoveu um encontro em São Paulo, em junho de 2019, para apresentar os vin...