sexta-feira, 20 de julho de 2018

Tosa del Mar, jóia da Costa Brava da Espanha

Na viagem que realizei em 2018, o destino seguinte à Marseille seria Barcelona. Como o trecho até lá era muito longo e os hotéis em Barcelona, muito caros da viagem, resolvi passar uma noite em Tosa del Mar. Uma cidadezinha na Costa Brava, meia hora antes de chegar à Barcelona.

Em Tosa ficamos hospedados num pequeno hotel, simples mas confortável, chamado Windsor (http://www.hotelwindsortossa.es/). O Quarto Superior Casal, com café custou EUR 70,20.

Tosa fica na província de Gironda, Catalunia, na Espanha. A cidade tinha em 2004, apenas 5.001 habitantes.

Marc Chagall batizou este povoado de paraíso azul, quando a visitou em 1933 e Ava Gardner e James Mason gravaram nas suas ruas: Pandora y el holandés errante.

Apesar de se chamar Costa Brava, as praias que eu vi ali não tinham nada de bravas e suas   areias eram grossas.

No dia em que chegamos, o tempo estava escuro e um pouco frio, por isto passeamos pela cidade e pelas praias Platja Gran e Palya D`es Codolar , deixando o castelo para o dia seguinte.

A cidade é um pequeno labirinto de ruelas tortuosas, com restaurantes e lojas de artesanato, além de lojas com produtos alimentares de babar, como embutidos, torrones e outros.

As lojas, de presuntos de todos os tipos e preços, eram uma tentação por todos os lados.

Tosa é muito colorida, tanto pelas casas, como pelas flores abundantes.

Pela cidade vemos azulejos, utilizados como telas, com motivos religiosos pintados e histórias escritas.

A cidade estava decorada com bandeirinhas coloridas em alguns locais, mais charmsa ainda.

Como a Espanha é católica, igrejas e capelinhas não faltam em Tosa.

No lado direito da praia, existe um belo e bem conservado castelo medieval, do século XII, que é separado da cidade, por uma imponente muralha.

Subimos ao castelo, com  lojinhas e restaurante dentro e uma vista ampla das duas praias da cidade.

Passando ao lado do castelo, chegamos à Palya D`es Codolar, uma linda e pequena praia de pescadores com água cor de esmeralda.

Passeando à noite pela cidade, encontramos o restaurante Bahia, que apesar do nome, nada tem a ver com a nossa Bahia. Lá jantamos e fomos tão bem recebidos que, vou mesmo dedicar um artigo especial sobre ele.

Esta passagem, por Tosa, foi uma rápida estadia, porém se tornou uma grata surpresa! Fomos bem acolhidos tanto no hotel, como no restaurante.


Antes de chegarmos à Tosa, resolvemos conhecer Figueres, cidade onde nasceu e morreu (1904  1989) o artista Catalão Salvador Dali, um dos maiores nomes do surrealismo.

Figueres é cheia de obras do artista, muito interessantes, mas que não faz parte das minhas preferências artísticas.

Passamos em frente ao Teatro Museu Salvador Dali, onde havia uma longa fila e,de cara já dava para imaginar as excentricidades que deviam haver lá dentro.

Existem Figueres também, um museu de jóias do artista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os vinhos deliciosos da Península de Setúbal, Portugal

A comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRSP) promoveu um encontro em São Paulo, em junho de 2019, para apresentar os vin...